Como eu fiz o desapego emocional pela comida

O post sobre “Como comecei a mudar a minha alimentação” é dos mais lidos aqui no blog. Isto demonstra que as pessoas estão genuinamente interessadas em ter um estilo de vida mais saudável, o que acho óptimo.

Facto é que a partir do momento em que mudei a minha perspectiva sobre a alimentação, as coisas começaram a fluir. É engraçado, mas quando não vejo as coisas como uma obrigação ou um objectivo específico (neste caso, uma dieta) mas sim como um plano holístico para uma vida mais feliz, é quando elas começam a resultar para mim.

Acho que dos passos mais importantes é praticarmos o desapego emocional pela comida é dar-lhe a missão que ela deve ter: nutrir o corpo.

Não é fácil, eu própria tenho a tentação de, quando a quando, comer emocionalmente, mas alguns truques ajudaram-me a ser mais racional na altura de comer.

Como eu fiz o desapego emocional pela comida


#1 Destralhar & Minimizar a despensa – no início passamos por momentos de abstinência que causam elevado desconforto. Por isso, se tivermos aquela tablete de chocolate milka na despensa, a coitada não vai resistir muito tempo. Como na fase deabstinência não somos de confiar, temos mesmo de deixar de ter esses pecados aonosso alcance.
Dica: em caso de SOS ter uma barra de chocolate negro, que tenha nos ingredientes principais cacau e não açúcar.

#2 A arte da distracção– quando começo a pensar demasiado nas coisas, elas viram-se uma obsessão para mim. Por mais que eu tente dissuadir a minha mente com discursosmoralistas “Isto não te faz bem” “Isto tem tantas calorias”, outra parte de mim grita “Mas depois do dia que tive, bem que mereço este pacote de batatas fritas!”.Como o nosso cérebro parece não aceitar estes pensamentos racionais, temos de o distrair! Mas como?
Dica: vai simplesmente fazer outra coisa que exija a tua atenção como ler o meu blog (ahah) ou um livro. Mas evita coisas que te tentem a comer, como ver TV.

#3 Comer mais alimentos "reais" e menos "processados" -  comer melhor não precisa de ser assim tão dificil. Acho que se tivermos esta como a nossa regra de ouro, as coisas começam a mudar. Isto porque alimentos processados foram feitos para nos viciar ao contrário dos alimentos reais. Por isso sempre que tiveres gana de um alimento processado, pensa de que forma poderás obter um prazer semelhante de uma forma semelhante.
Dica: gostas de cheesecake? Experimenta bolacha moida com um pouco de margarina, iogurte e um pouco de compota por cima. Adoras aperitivos? E que tal legumes cortados aos palitos (cenoura ou aipo) com um molho à base de iogurte natural temperado a gosto? Às vezes achamos que nao existem alternativas saudáveis porque somos preguiçosos para pesquisar um pouco e experimenta. Espreita também o meu post sobre snacks saudáveis e baratos para levar para o trabalho.

#4 Exercita-te - se te exercitares vais ter uma fome de leão? Talvez, mas não significa que vás fazer escolhas alimentares mais erradas. Falo por experiência própria. Depois de um belo treino fico cansada até para comer, e acabo por fazer escolhas mais correctas. Também aqui funciona a holística da coisa. Quanto mais fazemos pelo nosso bem-estar, mais queremos fazer.


Imagem: Unsplash

------------
Segue também no Bloglovin e Facebook

Comentários

  1. Concordo com a tua perspetiva sobre este assunto: muitas vezes (culpada me confesso!), queremos resultados tão rápidos que nos esquecemos de ver o grande plano - a nossa saúde para a vida.
    Eu também desisti de ter em casa alimentos demasiado tentadores, como o chocolate. Mesmo sabendo o mal que ele me faz, não consigo resistir-lhe quando está por perto, por isso o melhor é mesmo não ter.
    Bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Às vezes não somos de confiança e temos de manter os pecados longe... "longe da vista, longe da boca" é uma boa adaptação ao lema original :p

      E sem dúvida que, também na alimentação, é importante não só querer alcançar números mas uma vida melhor no geral!

      Beijinhos*

      Eliminar
  2. Interessante Sofia :)
    E concordo com "longe da vista, longe da boca" :D :D :D
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há momentos em que só assim conseguimos ser disciplinados. Mantemos fora da nossa vista e, quando dermos por nós, já criámos o hábito de não ter o hábito de comer aquilo :) Beijinhos!

      Eliminar

Enviar um comentário