Como criar um guarda-roupa mais minimalista


Desde que iniciei a redução do meu guarda- roupa, tenho continuado a destralhar, minimizar e, consequentemente, criar um guarda-roupa mais minimalista, simples e versátil. 

A ideia de criar um guarda-roupa mais minimalista não é transformá-lo em algo monocromático e sem graça, mas antes um espelho daquilo que somos, para que nos sintamos bonitas e felizes com cada peça que vestimos! 

Como criar um guarda-roupa mais minimalista



Seguem algumas dicas para pôr em prática depois de destralhar (se ainda não o fizeste, lê primeiro o Como comecei a reduzir o meu guarda-roupa em 4 passos).

#PASSO 1 Antes de comprar, faz uma auto-análise     
     --> Entende o teu corpo e aquilo com que te sentes confortável - Muitos dos erros que cometemos ao comprar roupa é achar que se fica bem no modelo, fica bem em nós. E mesmo quando fica, esteticamente falando, faz-te sentir confortável? Por exemplo, eu tenho a cintura mais larga que as ancas, por isso sempre me senti confortável em utilizar partes de cima menos justas que as partes de baixo. Isto torna a minha silhueta mais magra (não que me considere gorda) mas, mais importante que tudo, faz-me sentir bem e feliz. Sempre que arrisco numa parte de cima justa, até pode ficar esteticamente bem, mas sinto-me desconfortável, so... whats the point, right?
      
     --> Entende o teu estilo - também aqui, se fica bem ao modelo, não significa que se enquadre no teu estilo. Se tens dificuldade em definir o teu, coloco a questão que me foi colocada neste desafio da Mafalda: Se tivesses de definir a tua forma de vestir em 1 palavra, qual seria? Eu defino o meu estilo como casual chic, pois gosto muito de combinar peças mais clássicas com outras mais descontraídas. Um blazer clássico e uns ténis fazem, para mim, um conjunto fantástico!
 
      --> Onde gostas de arriscar? -  depois de entenderes o teu corpo e estilo, pergunto-te: quais são as peças onde, normalmente, fazes opções mais arrojadas? Lá porque estamos a criar um armário minimalista não quer dizer que a originalidade tenha de desaparecer. É tudo uma questão de escolha. Eu, por exemplo, gosto mais de arriscar nos acessórios. Prefiro ter roupas mais básicas e acessórios mais coloridos ou brilhantes. Define onde arriscas mais e concentra aí as tuas compras mais "out of the box" de modo a complementar e dar um estilo único ao teu guarda-roupa.

#PASSO 2 Faz um planeamento para o teu guarda-roupa

     --> Cria uma lista - depois de destralhares com sucesso e de perceberes o que gostas de vestir, está na altura de criar uma lista. Partindo do Método de Listagem de Categorias consegues ter uma perspectiva clara daquilo que tens e daquilo que precisas de comprar. Para um planeamento cuidado e eficaz, inspira-te numa abordagem "back to the basics".

      --> Back to the basics - quanto mais básico for o teu guarda-roupa, mais versátil ele vai ser. Opta por criar uma base para o teu guarda-roupa com roupas intemporais, com cortes que te favoreçam, cores básicas e tecidos com qualidade. A partir dessa base poderás criar muitas combinações, para além de as poderes utilizar durante muito tempo, uma vez que não são peças que saem de moda numa estação. 
Podes seguir a regra de 80/20. Para um total de 50 roupas, decide-te por ter 40 peças-base e 10 peças-arrojadas. Deste modo, consegues ter um bom equilíbrio entre um estilo minimalista e um toque de originalidade.Ficam aqui 2 ideias, uma em que apresenta um conjunto de básicos e uma que conjuga peças-base com peças-arrojadas. Se pesquisares no Pinterest poderás encontrar centenas de outras ideias.

    
(clica para ver as imagens grandes no Pinterest)

# PASSO 3 Está na hora de comprar... de forma consciente!
      --> Define um budget e mantém-te fiel à lista - Na hora de ir comprar é importante que, para além de teres a tua lista tenhas definido um budget para o feito. Ainda, na hora de alocar mais dinheiro a certas peças, é preferível que os faças com os básicos, pois vais usá-los muito mais vezes.

      --> Questiona-te constantemente - mesmo com os objectivos bem definidos na tua cabeça, é inevitável sermos constantemente tentados durante a nossa saga por um guarda-roupa mais minimalista. Por isso, mantém sempre este conjunto de questões presentes:
      "Quero ou preciso disto?"
      "É um objecto de desejo ou uma peça válida para mim?"
      "Adequa-se com o meu estilo de vida?"

Resumindo:

#PASSO 1: Antes de de comprar, faz uma auto-análise
        - Entende o teu corpo
        - Define o teu estilo

#PASSO 2: Faz um planeamento para o teu guarda-roupa
        - Cria uma lista com base num back to basics

#PASSO 3: Está na hora de comprar... de forma consciente!
        - Define um budget e mantém-te o mais fiel possível à lista
        - Sempre que te sentires tentada, questiona-te "Preciso? É válido? Adequa-se?"

Espero que estas dicas te ajudem, como a mim, a criar um roupeiro mais minimalista e feliz. Este processo tem-me feito perceber que preciso de muito menos peças do que pensava inicialmente, e com menos consigo sentir-me mais bonita.

Imagem: emily @ go haus go via VisualHunt.com

------------
Segue também no Bloglovin e Facebook 

Comentários

  1. Gostei bastante deste post =)
    Ja vivo com uma guarda roupa minimalista a quase 3 anos e adoro!

    Sophie.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Sophie,
      Eu ainda estou a caminho, mas muito motivada!
      Obrigada pela tua visita :-)

      Eliminar
  2. Obrigada, Sofia!
    Ando há pouco mais de um ano mais sensível a simplificar o guarda-roupa, mas foi recentemente, ao destralhar e arrumar as peças por cores que percebi que continuava com imensa roupa. Devagar se vai ao longe. Estou a caminhar!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estamos as duas querida AnaGui. O segredo é nunca parar ;)

      Eliminar
  3. Excelente post querida!Revejo-me bastante no que aqui dizes!
    Impressionante como ao simplificar o que nos rodeia vamos ganhando mais "espaço" para viver a nossa vida!
    Beijinho grande*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida que ao eliminar roupa, acabamos por eliminar com ela muitas outras coisas que tornam a nossa vida pesada!
      Beijinho Catarina*

      Eliminar
  4. Adorei esta publicação! No ano passado, criei um guarda-roupa minimalista e tem sido um hábito meu mantê-lo. E é mesmo verdade: sentimos que criamos mais espaço para o resto da nossa vida. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Joaninha! É tão bom ler "adorei" ahah :)
      E como disse à Catarina, é mesmo incrível perceber que eliminar roupa cria não só espaço físico mas espaço para tantas outras coisas na nossa vida.
      Beijinhos!

      Eliminar
  5. Excelente artigo, Sofia!
    Concordo com as tuas estratégias e são ótimas abordagens a este tema, de que tanto gosto, como bem sabes ;)
    Remover o que está a mais, quando estamos certas dos motivos pelos quais o queremos fazer, é fácil.
    Planear de acordo com o nosso verdadeiro estilo, é algo que aprendemos a fazer.
    Para mim, o verdadeiro desafio está em manter o roupeiro minimizado e, sobretudo, em conseguir adaptar os hábitos de compra à nova realidade.
    Daí ser tão importante definir o porquê de minimizar: fazê-lo para ganhar clareza, tempo, qualidade de vida e/ou auto-estima ajuda a que não se volte a cair na tentação de comprar para compensar o que já saiu do roupeiro.
    A questão "Adequa-se ao meu estilo de vida (simples)?" é o que me ajuda a manter-me focada.
    Não quero ter mais roupa a atafulhar-me a vida e a mente!
    Sou muito mais feliz com menos!
    Beijos grandes!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda tenho um longo caminho a percorrer a este nível, mas já sinto os efeitos positivos!
      Gostei da ideia de definir o porquê de minimizar. É algo em que penso, mas que acho que posso desenvolver mais - obrigada pela dica ;-)
      Beijinhos!

      Eliminar
  6. O meu guarda-roupa já é bastante simples, pois fui fazendo esse trabalho ao longo dos anos. Além disso eu não gosto muito de andar às compras, por isso tudo o que compro é bem pensado e tem que durar. Logicamente tem que me ficar bem e de preferência favorecer-me :)
    Como tão bem referiste, é necessário conhecermos o nosso estilo pessoal, conhecermos o nosso corpo, até antes de iniciar este processo. Penso que é até um passo importante para o nosso crescimento pessoal, logo para ser mais feliz.
    A partir daí é só seguir as tuas dicas, que o trabalho de simplificar ficará facilitado :)
    Beijinhos :*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelo teu testemunho Catarina. Acho que este é sempre um work in progress, não achas? Há sempre espaço para melhorarmos e, neste caso, simplificarmos as coisas.
      Beijinhos*

      Eliminar

Enviar um comentário