6 Coisas que aprendi dos 20 para os 30 anos

Se tivesse a oportunidade de me encontrar com a minha pessoa de 18/19 anos, eis 6 coisas que lhe diria sobre o que mais aprendi nestes últimos 10 anos (se o soubesse à partida, talvez poupasse alguns dramas... ou não!)

#1 Estes são os anos de grandes mudanças interiores - mudas muito entre 20 e 30 anos. Lembro-me de com 20 anos achar que sabia muito sobre o que era e queria da vida. Mas não há como escapar a estes anos de tantas mudanças internas. E se na adolescência passamos por um processo de crescimento, na fase de jovem-adulto o crescimento desacelera para dar lugar ao processo de amadurecimento. É uma fase tão confusa quanto excitante, em que encontramos uma nova definição sobre o que somos e queremos da vida.

#2 Os teus planos? Muitos deles não vão acontecer (e ainda bem!) - a vida que projectaste pode não acontecer. Amadureces e percebes que a vida é incerta e que tu própria estás em constante mutação. Alguns dos teus planos não se realizam por limitações da vida ou porque deixam de fazer sentido para ti, mas acredito que os sonhos se mantêm - podes é encontrar novas formas e caminhos para os alcançar.

#3 Vive as coisas no tempo certo... mas vive! - já a nossa avó dizia, e a sabedoria popular raramente se engana. Viver as coisas com 20 não é a mesma coisa que as viver com 30. Até as podes viver mais tarde, e serem ambas experiências esquecedoras, mas serão sempre experiências diferentes. Por isso se queres sair e dançar toda a noite, sair com aquele rapaz, ficar a ver o nascer do sol com os amigos, partir numa viagem sozinha... o tempo é agora.

#4 Relaxa...há muito pouco que tu podes controlar! - confesso que precisei de quase chegar aos 30 para perceber isto - é uma descoberta muito recente. Há muito pouco que podemos controlar na vida para além de nós mesmos. Por isso acredito que uma das chaves para ser mais feliz é deixar de querer controlar o exterior e aprender a controlar o interior.

#5 Inteligência emocional é o teu melhor aliado...para tudo! - uma das grandes ferramentas internas que podemos aprender é a ter inteligência emocional. Isto ajuda-nos em todas as áreas da nossa vida, na medida em que aprendes a aceitar, interpretar as tuas emoções e utilizá-las de forma inteligente no teu dia-a-dia.

#6 Aprende a ser feliz sozinho - ter a companhia do que nos amam por perto é fantástico mas só a aprendemos a desfrutá-la verdadeiramente quando aprendermos a estar bem e ser felizes sozinhos. Isto foi algo que aprendi ao ser solteira e a viver sozinha nos meus 20.

Se tivesse a oportunidade de me encontrar com a minha pessoa de 18/19 anos,  eis como resumiria a minha década de 20: os primeiros 5 anos (dos 20 aos 25) foram marcados por uma imensa confusão interior, o desejo desenfreado de viver o momento e a experiência do primeiro amor.
Os últimos 5 (dos 26 aos 30) foram de intensa aprendizagem interior, onde mais senti as dores do crescimento - sem uma relação com outra pessoa tive de aprender a cultivar uma nova relação comigo mesma.

Hoje posso dizer que estou mais feliz, uma felicidade menos saltitante mas mais consciente e realista.

Imagem: Visualhunt.com

Comentários

  1. É muito bom quando fazemos estas reflexões, parar para analisar cada sentimento, cada emoção, cada vivência. Tomar consciência das coisas boas e das menos boas!
    Sentir o quandouma pessoa pode mudar é incrível, estamos sempre em crescimento minha querida. E mesmo quando fisicamente o crescimento pára há um outro que é interior que ccresce com muito mais força!
    Beijinho enorme princesa*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Catarina! Estes tempos têm sido de reflexão para mim. Par além da viragem de década, acontecimentos recentes me fizeram fazer um ponto de situação. Concordo contigo que estamos sempre a crescer e a aprender.
      Obrigada pelas tuas palavras, sempre tão doces! Beijinho*

      Eliminar
  2. Ler isto com 22 anos, fez-me todo o sentido. Obrigada "pelas dicas" :) E engraçado, como já abracei esses "ensinamentos" e os encarei como realidade. Sempre a aprender, sempre a crescer... seja de que forma for! :)

    Obrigada pela partilha.

    Beijinhos**

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Mariana,
      Acho que podermos partilhar umas com as outras as coisas que vão acontecendo em nós é muito positivo. Cada um tem o seu tempo, e se já abraçaste muito dos ensinamentos, óptimo, terás tantos outros para a aprender!
      Um beijinho grande!

      Eliminar
  3. Realmente Sofia faz-nos pensar estas coisas :)
    Todos os dias estamos a aprender :) E são estes relatos que nos fazem pensar na vida, eu já estou um bocadinho mais há frente nos anos, mas gosto sempre de ler, porque aprendo sempre alguma coisa :) Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Acho que quanto mais se cresce vamos realmente aprendendo mais e mais do que a vida nos tem para ensinar, e isso é bom -é obvio que é bom-. Aprendemos coisas diferentes com valores diferentes conforme a idade que temos, na verdadr acho que isso é realmente a beleza de se crescer e ficar mais velha. Beijinhos. 😊😊😊

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Maria, ficarmos mais velhas tinha de trazer alguma vantagem inerente :p Mas concordo, sem dúvida que a aprendizagem não pára e os ensinamentos variam mesmo consoante a idade. Obrigada pela tua visita, beijinhos!*

      Eliminar

Enviar um comentário