Como estou a redescobrir o melhor de mim

Dizem que quando passamos por momentos na vida menos positivos, é quando aprendemos as grandes lições. Sempre achei esse argumento um pouco filosofia de bolso, mas facto é que é isso que se está a passar comigo. Algo está definitivamente a mudar dentro de mim.

Depois dos recentes acontecimentos que me fizeram desistir de procurar ser feliz, me têm levado gradualmente a pensar menos e agir mais, tem despertado em mim um novo estado de consciência. É como se estivesse a redescobrir o melhor de mim.

Como estou a redescobrir o melhor de mim

1# Deitei fora o plano que tinha criado para mim - a minha vida tem sido um conflito entre o que os outros acham que eu devo ser e, sobretudo, aquilo que eu acho que devo ser. Depois de muitas tentativas feitas (e falhadas) para tentar ser o que não sou, deitei fora o plano que tinha criado para mim.
Não estou com isto a dizer que até aqui fui outra pessoa, apenas que deixei parte do meu potencial de fora. Desistir dos sonhos que já não me servem e ser mais eu (seja o que isso for) passou a ser a minha prioridade.

2# Deixei de pensar "porque é que a vida é assim" - ninguém tem a vida com que sempre sonhou e cada um tem o seu caminho. Isto é dificil de encaixar porque, sejamos sinceros, quando olhamos para a "grama do vizinho", parece sempre melhor do que a nossa. Ainda mais na era das redes sociais, onde as pessoas colocam apenas o lado bom da vida.
Mas facto é que não há uma que seja perfeita, e tenho aprendido a aceitar a imperfeição da minha. Parei de questionar porque é que a minha vida é assim, deixo ir (let it go) e preocupo-me antes em vivê-la de verdade.

3# Agir é mindfullness no seu melhor - mindfullness, atenção ou consciência plena é viver no agora, aproveitando intensamente cada momento. Percebi que agir é mindfullness no seu melhor. Não consigo não pensar no passado ou no futuro, mas ter um espírito mais de "ação" e menos de "pensamento" ajuda-me a estar mais presente.

4# Viver mais com o coração - ao longo do tempo criei estratégias mentais que bloquearam um pouco o acesso às minhas emoções. Pensei que com isso me estava a proteger, mas a verdade é que isso só me protegia do meu verdadeiro eu (e isso é ridiculo!). Viver mais com o coração significa aceitarmo-nos como somos, viver os momentos bons e maus com igual intensidade, e não ter medo de sentir. Escrito assim até parece fácil mas é bem dificil. Mas vale a pena, muito a pena.

E tu? De que forma tentas redescobrir o melhor de ti?

 Imagem: Unsplash.com 

Comentários

  1. Belas palavras Sofia :)
    Identifico-me muito com elas, e realmente o Aceitar é muito importante na nossa vida, eu acho. É difícil? É... muito :) Mas também acredito que tudo depende de nós :) Do nosso querer, da nossa força :)
    Beijinhos e boa continuação :) É muito bom ler estes teus relatos, ajuda a crescer ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Sandra, obrigada pelas tuas palavras :) Sem dúvida que aceitar é meio caminho andado para redescobrir o melhor que há em nós... deitamos por terra potenciais máscaras e barreiras que criámos e aceitamos o que realmente somos e queremos!
      Beijinho e volta sempre :)

      Eliminar
  2. Olá Sofia!!
    Sabes eu acredito piamente nessa filosofia. Falo pela minha experiência, foi nas piores fases da minha vida que aprendi as melhores lições. Mas hoje agradeço muito por isso, pois aprendi tantooo...
    Resumindo até as coisas más têm o seu lado bom!! É importante aceitar as coisas como elas são, aliás é importante aceitar! Depois da aceitação , a visão que temos das situações fica muito mais clara e leva-nos à acção! Fico muito feliz por saber que estás na fase do "agir"!!
    Beijinho enorme e uma excelente semana para ti*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Catarina :)
      Sem dúvida que estou numa fase de "agir". Confesso que ainda de uma forma confusa, não sei bem para onde estou a ir, mas a ordem do dia é se fizer sentido para mim, agir e pronto.
      E quanto às coisas más, fazem parte da vida de todos nós, não há como as evitar. Agora aproveitá-las e aprender com elas, isso sim já é uma escolha.
      Beijinho enorme!

      Eliminar
  3. Olá Sofia!
    Acho que resiliência é o meu nome do meio! ;-) Exames de consciência também ajudam muito a manter ou recuperar o foco. Sendo que a vida nao é uma recta! Nas curvas e rotundas e entroncamentos voltamos a questionar e a fortalecer o rumo e objectivo.
    Força!
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá AnaGui!
      Sem dúvida que resiliência é uma capacidade fantástica que vamos ganhando com o passar dos anos.
      Quanto aos exames de consciência, mesmo que às vezes sejam dolorosos, são essenciais para, de facto, fortalecer o rumo e objectivo como dizes.
      Obrigada por, indirectamente, tornares este meu caminho mais feliz possível (sabes do que falo!)
      Beijinhos!*

      Eliminar

Enviar um comentário