O que tem a felicidade a haver com responsabilidade?

Todos queremos ser felizes, isso é ponto assente. Mas queremos uma felicidade que não dê muito trabalho, que chegue pronta a consumir e que transforme a nossa vida numa infinita comédia romântica.

Escrito assim, chega a parecer caricato, mas é a realidade. Sei do que falo porque também já andei por aí à procura dela. A felicidade perfeita que iria resolver todas as minhas ansiedades, medos e problemas. E no dia em que ela chegasse, tudo ia ficar bem.

Só que não. 

Esse dia nunca vem. E enquanto esperamos, desesperamos, tal e qual Maria Madalena, a perguntar o que há de errado com a nossa vida, quando é que vamos ser felizes?... e então vem uma vozinha dentro de nós que sussura: Ei, tu não queres ser mesmo feliz? Então sê responsável!

Mas o que tem a felicidade a haver com responsabilidade?

Tudo! Ser verdadeiramente feliz é ter a coragem de assumir a responsabilidade pela tua vida e deixar de colocar esse ónus no exterior.

Imagina um bolo. O bolo é a felicidade e só tu podes fazer esse bolo o mais fofo e saboroso do mundo. Tudo o que esteja para além do bolo é cobertura. E, admitamos, as coberturas são um complemento delicioso, mas apenas acrescentam, nada têm a haver com o bolo em si. Se tentares misturar a cobertura na confecção do bolo, o resultado vai ser desastroso! Porque estás a tentar que uma cobertura seja um ingrediente!

Fazendo a analogia, é o que todos acabamos por fazer: tentar transformar uma pessoa, um objeto, um emprego ou seja o que for, num ingrediente base da nossa felicidade. Assim, para além de não usufruirmos delas enquanto maravilhosas coberturas, também não investimos em confecionar um bolo maravilhoso. Saímos sempre a perder.

Então como construir uma felicidade responsável?

Já sabes que não há fórmulas certas ou mágicas, primeiro porque eu posso adorar bolo de chocolate e tu odiares, por isso tens de escrever a tua própria receita. Mas seguem algumas sugestões que te podem ajudar:

1# Define o que é para ti a felicidade

2# Medita (podes ler as minhas partilhas sobre meditação aqui e aqui)

3# Pede ajuda a um profissional (coach, terapeuta)

4# Procura por saber mais através de artigos, vídeos, livros, áudiobooks, ebooks

5# Experimenta, sem julgamentos, só assim entendes o que é ou não para ti

6# E acredita ... as respostas estão todas dentro de ti :-)

Photo by Arkady Lifshits on Unsplash

Comentários

  1. Fantástico Sofia :)
    Concordo plenamente com o que escreves, verdade, verdadinha :)
    Temos que ser responsáveis ;)
    Beijinhos

    ResponderEliminar

Enviar um comentário