Como eu mudei a minha visão sobre o trabalho

O processo de auto-conhecimento e as experiência profissionais que tenho vindo a ter, ajudaram a formar aquela que é a minha visão atual sobre o trabalho.

Resolvi escrever este post, porque é comum encontrar testemunhos de quem largou o emprego para empreender, mas não é fácil encontrar testemunhos de quem continua a trabalhar em empresas, mas alterou a sua perspectiva sobre a sua forma de ser e estar nelas.

O que eu pretendo partilhar hoje é que, nem sempre precisamos de largar tudo e mudar radicalmente de vida para uma grande transformação acontecer. 

Eu sempre trabalhei nos moldes clássicos, ou seja, por conta de outrem e na minha área de formação - marketing. Fui tendo várias experiências profissionais, mas a minha visão sobre o trabalho sempre foi bastante reduzida: via-me enquanto recurso de uma empresa e considerava que era uma sorte poder estar a trabalhar na minha área. Como perspectiva futura ansiava subir na escala hierárquica, acumular títulos, benefícios... e poder.

Acredito que, esta minha ânsia por obter coisas que são socialmente desejáveis, me fez acumular tantas experiências profissionais em pouco tempo e tomar algumas decisões precipitadas. Não me arrependo de nada do que fiz, e aceito que era o melhor que conseguia fazer, com o meu grau de consciência. Mas, no final de 2015, já apresentava sérios sinais de cansaço e exaustão em relação à minha vida profissional. 

Estava num trabalho que já não me motivava e onde não me sentia valorizada. Passava a vida a ir a entrevistas, e mesmo estando em vários processos finais, nunca era a escolhida. Todas estas frustrações acumulavam-se e eu sentia-me cada vez mais fragilizada e desesperançada. Parecia que a minha vida profissional estava estagnada, e que eu nunca ia conseguir libertar-me daquele marasmo em que me encontrava.

Dei por mim em piloto automático, frustrada, mas a repetir sempre as mesmas fórmulas. 

Foi então que, no último dia de 2015, comecei este blog. Precisava desesperadamente de algo a que me agarrar, algo que me motivasse e desafiasse. E foi das melhores coisas que fiz.

O blog acabou por funcionar como uma espécie de auto-terapia e tornou-se num catalisador para uma série de mudanças que iriam acontecer na minha vida. Durante algum tempo continuei sem ver a luz ao fundo do túnel e, como tal, não conseguia perceber que as mudanças já estavam a acontecer.

No último trimestre de 2016, fiz a primeira de muitas sessões com o meu emotional coach, e ela foi tão intensa, que sai de lá a chorar. Mas estas sessões foram muito importantes para acelerar todo o processo de auto-conhecimento.

A partir de dentro, comecei a desconstruir o que tinha aprendido sobre o que eu achava que era trabalho, prosperidade ou sucesso. Se foi fácil? De todo. Desconstruir conceitos que se tomam como verdade por muitos anos, é complexo e doloroso.

No inicio de 2017, aconteceu a mudança profissional que eu tanto ansiava. As coisas acontecem quando têm que acontecer, partilhei num post da altura. E estava certa. Aquela mudança acontecia no momento indicado e iria ser um turning point na minha vida profissional. Mas não o que eu estava à espera.

A verdade é que quando aceitei aquela mudança profissional, para além da exaustão em que me encontrava, as minhas motivações ainda eram aquelas com as quais tinha crescido. Só que eu já estava num processo de auto-conhecimento e a minha perspectiva estava a mudar. Não me encaixei naquele novo desafio profissional. Embora a minha performance estivesse a ser excelente, dentro de mim ele já não fazia sentido para mim.

Na altura, passei por momentos de grande revolta comigo mesma e com o mundo. Afinal, os conceitos em que sempre acreditara, não tinham nada a haver comigo? Coloquei tudo em causa, senti-me completamente perdida. Tudo o que eu fizera até ali fora uma fraude? O que é que eu queria afinal? 

Apesar de necessário, todo aquele dramatismo foi temporário. Mas enquanto durou, foi de tal forma insuportável de lidar que, subitamente, desisti de questionar. Desisti de querer definir o que era a minha nova perspectiva. O que era suposto eu ser e fazer. Coloquei-me como observadora da minha própria vida e deixei-me levar, sem preconceitos.

E foi então que intui largar aquele desafio profissional. A minha mente gritava que estava louca, o meu coração sentia-se saudável e confiante como nunca. Espantosamente, encontrei outro trabalho, sem quase procurar. Aceitei-o e, pela primeira vez, não tive qualquer expectativa sobre o que ele era ou devia ser. E foi aí que percebi que a minha visão sobre o trabalho tinha mudado radicalmente.

Hoje, a minha visão atual sobre o trabalho é completamente diferente e nunca me senti tão plena e realizada:

- Deixei de ver o trabalho como algo associado a uma empresa. A empresa passou a ser um meio para expressar o meu propósito em termos profissionais, e isso faz uma enorme diferença, porque deixamos de ter uma postura de dependência.

- Mudei a minha perspectiva em relação a quase tudo o que envolve a realidade laboral. Onde antes via dificuldades, hoje vejo desafios. Onde antes via escassez, hoje vejo oportunidades. Tudo serve de aprendizagem e o universo está repleto de coisas maravilhosas à minha espera, e esta postura tem-me trazido muitas delas.

- Para estar aberta às dádivas do universo, larguei a minha necessidade de achar o que é melhor para mim. Se antes dizia que queria chegar à "função X", na empresa "Y", hoje sei que quero ser feliz, próspera e realizada. E irei trilhar os caminhos que estiverem alinhados com esse propósito, sejam eles quais foram.

Posso dizer-vos que as oportunidades chegam até mim todos os dias. Se vêm na forma que eu um dia imaginei? Nem por sombras! Mas deixei de querer que as coisas aconteçam da minha maneira. Em vez disso, sinto, confio, aceito e agradeço todas elas!

Desculpem o post longo, mas achei importante partilhar que o que eu escrevo aqui realmente traz mudanças reais e palpáveis. Elas acontecem na minha vida e são, a cada dia que passam, mais maravilhosas. E tu também as podes viver...acredita!

Estamos juntas :-)

Photo by Christin Hume on Unsplash

Comentários

  1. Olá Sofia! Antecipaste-te! Com a tua permissão usarei este post mais tarde. ;)

    ResponderEliminar
  2. Olá Sofia... tão bom ler-te :) Vem mesmo a calhar este post :)
    Tenho de escrever-te um dia destes :) as mudanças estão acontecer ;)
    Beijinhos grandes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Sandra, que bom sempre ver-te por aqui.
      Um beijinho muito grande 😘

      Eliminar

Enviar um comentário