A arte de viver o presente sem abdicar do futuro

Uma das coisas que tenho procurado fazer, em nome da felicidade, é a de viver o presente e praticar o mindfullness. Estar no aqui e no agora e desfrutá-lo da forma mais inteira possível, é aquilo a que me tenho proposto. Mas até que ponto pode o "viver o presente" comprometer "o futuro"? É sobre isso que tenho pensado nos últimos dias.

Sem dúvida que, ter a capacidade de estar presente no momento é muito importante. Afinal, o passado já passou e o futuro ainda não aconteceu. Por isso, a única realidade que existe é o "aqui e agora", daí a importância de estarmos conectadas com o estado presente e de o vivermos intensamente. Até aqui, tudo bem. Concordo e assino por baixo. 

Mas poderá este " estado de presença" colocar em causa a nossa capacidade de compromisso?

Por definição, viver em "estado de presença" significa entregarmos-nos ao momento. Mas, aquilo que tenho verificado, é que ele traz consigo um efeito colateral. A entrega pode criar um desapego em relação à potencial continuidade do momento que se está a vivenciar.

Ou seja, a entrega pode torna-se de tal forma desapegada, que afecta a capacidade de assumir compromissos, no sentido lato do termo. Este pensamento tem-me levado a concluir que é importante aprender a conciliar o "viver o momento" com a "vida como um todo".

Aprender a usufruir das pequenas coisas, de estar inteiro no presente, não invalida criar um compromisso em relação a elas, de procurar abarcá-las na nossa vida, para além daquele momento. Porque desenhar planos, criar raízes e aprofundarmo-nos nos instantes da vida também faz parte do ser-se humano. 

Sejamos capazes de viver o presente, sem abdicar das potencialidades que ele nos traz.

Photo by Thanh Tran on Unsplash

Comentários

  1. Sofia,

    Interessante a sua visão, você tem toda razão.
    Precisamos conciliar o "momento presente" com a "vida como um todo", para a equação dar certo.
    Abraços,
    Simplicidade e Harmonia

    ResponderEliminar

Enviar um comentário