5 coisas que aprendi sobre felicidade com o hygge e o lagoom


Muito se tem ouvido falar do hygge e do segredo dinamarquês para a felicidade. Considerado o país mais feliz do mundo em 2016, no Relatório Mundial da Felicidade, os dinamarqueses definem o hygge como uma sensação de conforto e bem-estar que proporciona a verdadeira felicidade.

Estar sentado junto à lareira, com uma manta, uma chávena de chá e a participar num jogo de tabuleiro com os amigos é o exemplo de um momento "hygge". Na prática, é viver a vida de um modo mais presente (mindfullness), sabendo valorizar o que é realmente importante (minimalismo). Este termo foi de tal forma acarinhado que o Livro do Hygge, de Meik Wiking tornou-se num êxito internacional, tendo sido traduzido em 25 idiomas.

Depois do hygge dinamarquês, chegou o lagoom sueco. "Lagoom" significa na medida certa. Sair a horas do trabalho, fazer escolhas sensatas ou falar somente o necessário são alguns dos segredos do "lagoom" para se ter uma vida equilibrada e, por isso, mais feliz. Este termo não é recente na Suécia, mas tornou-se mundialmente conhecido graças ao livro "Lagoom - A Arte Sueca para uma vida equilibrada" de Linnea Dunne.

O que aprendi sobre felicidade com o hygge e o lagoom

#1 A felicidade é uma forma de viver

Dizem que a felicidade são momentos. Com o tempo fui aprendendo que pode ser mais do que isso, pode ser uma forma de viver, se redefinires o teu conceito de felicidade. Primeiro, tens de perceber que ser feliz é algo pessoal, por isso, o que é para ti a felicidade? Depois desta auto-análise, é essencial compreender que felicidade é diferente de estar sempre a sorrir ou não ter obstáculos. Nem os dinamarqueses ou suecos estão sempre animados. Mas fazem os possíveis para terem uma rotina que multipliquem esses momentos. Ser feliz é viver a vida de uma forma genuína e verdadeira contigo mesma, aceitando tudo aquilo que ela tem para te oferecer.

#2 O menos é mais

O estilo nórdico caracteriza-se pelo seu estilo minimalista, não só em termos de design, mas também na forma como vivem a vida. Como já partilhei, minimalismo não é viver com pouco, mas sim saber priorizar e escolher o que é realmente importante. Mais uma vez, um conceito muito pessoal, que difere de pessoa para pessoa. O que é mesmo importante para ti? E do que poderias abdicar? Pode parecer um exercício simples, mas que dá trabalho, pois exige que filtres pensamentos e emoções, para decidires em honestidade contigo mesma.

#3 A felicidade tem a haver com equilíbrio

Quem me acompanha sabe que estou sempre a repetir que o equilíbrio é das coisas mais importantes na altura de viver uma vida mais plena e feliz. O hygge e o lagoom reforçam a minha teoria. Desde controlar o que se diz, a não ceder ao consumo desenfreado, ou a desenvolver hábitos de alimentação conscientes, tudo remete para o bom senso em tudo o que se faz.

#4 A importância de saber estar presente

O estar presente ou praticar o mindfullness é algo muito hygge e lagoom. Numa altura em que a luz dos smartphones parece acompanhar-nos sempre, criando uma falsa sensação de proximidade e conexão, actos simples e reais como nos focarmos na pessoa ou momento que temos diante de nós, torna-se um desafio. Se também o é para ti, a prática meditação ajuda-te muito a ter consciência da tua falta de presença e volta a ligar-te mais ao presente.

#5 Não há nada como o contato pessoal

No seguimento de saber estar no aqui e no agora, vem a valorização das relações interpessoais cara-a-cara. Estou longe de ser moralista em relação a este tópico (aliás, trabalho em marketing digital e acho fascinante!) mas, confesso que no que diz respeito aos relacionamentos, sou um bocadinho mais radical :) Por isso usa e abusa de momentos com as pessoas que são importantes para ti, com programas que promovam o estreitamento das relações.

Se quiseres saber mais sobre o hygge e o laggom:

http://observador.pt/2016/10/13/hygge-a-palavra-magica-que-faz-da-dinamarca-o-pais-mais-feliz-do-mundo/

http://observador.pt/especiais/lagom-e-a-felicidade-o-que-e-que-temos-a-aprender-com-os-suecos/

E tu? Aplicas o hygge e lagoom no teu dia-a-dia? Consideras que são boas fórmulas para se ser mais feliz? Conta-me, quero saber de ti :)

Photo by Maria Shanina on Unsplash

Comentários

  1. Querida Sofia eu aplico sim, encontro nestes dois estilos de vida muitas coisas semelhantes ao meu estilo próprio de viver. Um dos meus lemas de vida é procurar alegria e inspiração nas pequenas coisas da vida. Ser feliz não é assim tão difícil, aliás é bem mais fácil do que a maioria das pessoas pensa!
    Beijinho enorme para ti e obrigada pela inspiração que me trazes!

    ResponderEliminar
  2. Olá Sofia, eu estou no processo de mudança... cada vez mais tenho essa noção, de viver o agora, e a felicidade depende de nós mesmo e não de alguém ou alguma coisa :)
    Conheço o Hygge e achei muito interessante pela sua simplicidade :) Como é fácil sermos felizes... complicamos tudo! Temos a "mania" de esperar o momento certo para tudo e depois nunca mais chega, não fizemos o que queríamos, não usamos o que queríamos... somos uns tolos!!! Mas eu ando a mudar essa ideia... já percebi que é a errada :)
    Beijinhos grandes e obrigada por mais esta partilha boa :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isto de sermos mais felizes é muitas vezes através da simplicidade ;)
      Como costumo dizer, living and learning :D

      Eliminar
  3. #3 A felicidade tem a haver com equilíbrio
    Deve ler-se
    #3 A felicidade tem a ver com equilíbrio

    E contacto continua a escrever-se com c, no novo acordo. Só não se escreve se não se ler.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pela correção :)
      Da próxima podes identificar-te, parece-me justo ;)

      Eliminar

Enviar um comentário