Como transformar crenças e ser mais feliz por Marina Vassalli, de Uma Jornada Interior


Uma das rubricas que mais gosto neste blog é a das colaborações, pois abre espaço a mulheres maravilhosas partilharem as suas perspetivas e experiências sobre a felicidade.

Hoje, esta rubrica é ainda mais especial, pois conta com a sua primeira colaboração além fronteiras. 

Tão grata a esta pessoa maravilhosa que a blogosfera me deu a oportunidade de conhecer. Obrigada Marina!

---------------------

Como transformar crenças e ser mais feliz

Muito se fala sobre as crenças limitantes e seu impacto negativo em nossas vidas. Mas nos esquecemos de que, assim como existe a sombra, há também Luz dentro de nós. Só precisamos saber como acessá-la e fazê-lo com mais frequência.

Crenças fortalecedoras são crenças positivas e empoderadoras que carregamos conosco.

Nos momentos de dificuldade, quais são aqueles “mantras” que você diz para você mesmo que te fazem mais forte e determinado? O que você afirma internamente quando precisa vencer uma situação difícil? O que você diz para si mesmo todas as manhãs para levantar da cama, sabendo que muitas vezes terá um dia desafiador pela frente? Essas são algumas de suas crenças fortalecedoras.

Diferentemente das crenças limitantes, elas nos impulsionam para a realização dos nossos sonhos, da nossa missão e do nosso propósito, e, consequentemente, nos levam para o caminho da felicidade.

Crenças limitantes são os nossos pensamentos negativos. Crenças fortalecedoras, os positivos. Enquanto as primeiras são negativas e pessimistas, as segundas são positivas e otimistas.

Muitas vezes as pessoas nos aconselham que nos livremos dos pensamentos negativos para sermos mais felizes. Mas, mais importante do que retirá-los da nossa mente, é necessário ressignificá-los. E como fazemos isso? Substituindo-os por pensamentos ou crenças positivas.

Temos dentro de nós a ideia de felicidade como algo muito distante, que projetamos para o futuro, para o tempo do “no dia em que...”. Colocamos a nossa felicidade nas mãos de um momento que sequer existe e que talvez nunca se concretize.

Projetamos a nossa felicidade nos objetos que compramos ou desejamos, sem percebermos que tão efêmero quanto eles será também a nossa satisfação e realização.

Vivemos em uma busca interminável pela felicidade, como se ela fosse um trunfo final, sem percebermos que ela é, na verdade, o próprio caminho.

E o que temos feito dos nossos caminhos? Estamos vivendo-os ou estamos apenas projetando o nosso o futuro ou apegados ao nosso passado, distantes de nós mesmos, do outro e desligados de tudo o que nos rodeia?

Falar sobre felicidade se tornou banalizado nos dias de hoje. Muitos a procuram em livros que contam com fórmulas mágicas, como se, seguindo-as a risca, fossemos nos tornar instantaneamente realizados e felizes. Outros vivem uma busca obsessiva por encontrá-la, sem perceber que ela está mais próxima do que se imagina.

Deixar predominar a influência das nossas crenças limitantes nos nossos pensamentos, atitudes e palavras nos levam para o caminho contrário ao da felicidade. Diante dos problemas, a reação positiva já foi comprovada como a forma mais eficaz de vencê-los.

Mas isso não exclui a aceitação da nossa imperfeição. Aceitá-la e nos esforçar para transpô-la é parte essencial na busca pela nossa transformação interior.

Para isso, precisamos mudar a forma como pensamos e enxergamos a vida. Se estamos aqui para aprender, crescer e nos tornarmos pessoas melhores, que tal começarmos a olhar para as dificuldades como desafios que nos auxiliam a subir mais um patamar em nossa evolução?

Falar parece fácil. Mas podemos dar o primeiro passo e o mais importante deles: acreditar em nós. Nós somos os responsáveis pela forma como percebemos a vida e o que nos chega e pela forma como reagimos a isso. Vendo uma dificuldade como um problema, ela parece intransponível; vendo-a como um desafio, vencê-la se torna um objetivo.

Olhar para os momentos ruins e ressignificá-los pode nos tornar pessoas mais fortes. Ter uma visão para o futuro visando a concretização do nosso propósito e a vivência da nossa missão pode nos tornar mais confiantes e determinados.

Toda mudança começa em nossos pensamentos. Somos o que pensamos e o que falamos.

Observar e conhecer os nossos pensamentos, vivenciando um processo de autoconhecimento, nos leva a entender como reagimos diante dos momentos e situações difíceis. Esse é o primeiro passo. O segundo é a sua modificação. Para isso, precisamos nos comprometer fielmente conosco mesmos, com vistas a atingir o objetivo maior: a identificação de quem somos em nossa essência e a permissão para despertar em nós o melhor que podemos ser.

Breve bio
Me chamo Marina, tenho 27 anos e nasci e resido no Brasil. 
Sou Educadora e Coach, e optei por essas duas profissões por acreditar que juntos podemos fazer deste um mundo melhor para se viver!
Escrevo no blog Uma jornada interior juntamente com a minha irmã de alma, amiga de muitos anos - senão vidas! - Mariana. Escrevemos sobre vida simples, minimalismo, consumo consciente, yoga e meditação, autoconhecimento, felicidade.
Caso se interessem em conhecer mais sobre o nosso blog, deixo aqui as redes sociais.
Nossa página no Facebook: facebook.com/umajornadainterior
Nosso Instagram: @umajornadainterior"

------------------------


Se também quiseres escrever aqui no blog sobre um tema que gostes e te faça feliz é só entrar em contato: seraindamaisfeliz@gmail.com


Photo by Joseph Barrientos on Unsplash

Comentários

  1. Marina,

    Conheci seu blog através do Uma Jornada Interior e gostei do conteúdo.

    "Diante dos problemas, a reação positiva já foi comprovada como a forma mais eficaz de vencê-los."
    Boa reflexão, gostei!

    Abraços,
    Simplicidade e Harmonia

    ResponderEliminar

Enviar um comentário