Meditação para ser mais feliz

meditação para ser feliz
Recentemente fui convidada para escrever um artigo a falar um pouco sobre a minha prática de meditação. Foi a primeira vez que escrevi um artigo para outro blog e gostei muito desta 1ª experiência, pelo que agradeço à Mafalda pelo convite. 

Deixo aqui um excerto do artigo, se quiserem lê-lo na íntegra, poderão fazê-lo aqui.

Porque decidi começar a meditar? 
Já tinha lido alguns artigos sobre a meditação e os seus benefícios, mas da teoria à prática, confesso que passou algum tempo. Já tinha feito algumas tentativas, espaçadas no tempo, e sem qualquer rigor ou objectivo inerentes. Tentava uma, duas vezes e deixava vencer-me pelo argumento de "Isto é demasiado difícil" ou "Quem tem tempo para isto?"
Há uns meses atrás inscrevi-me num workshop sobre meditação que teve lugar no Templo Kadampa de Sintra. O monge que dirigiu parte do workshop lançou o desafio de meditarmos durante 30 dias. E esse desafio, em jeito de epifania, foi o gatilho de que precisava para me deixar de desculpas e passar à acção. Decidi mesmo tentar. E consegui. 

Como comecei a meditar? 
O mais importante para começar a meditar é, simplesmente, começar. Dizem que a prática faz a perfeição e não poderia estar mais de acordo. Se estiveres genuinamente motivada, as coisas acontecem. Mas tens de te mentalizar que leva tempo e requer paciência da tua parte. Devagar, devagarinho, podes ir muito longe. Não queiras logo meditar durante uma hora, é preciso começar pequenino e deixar criar o hábito. Além disso, quantidade nem sempre significa qualidade.
Imagem: Kashirin Nickolai via VisualHunt.com / CC B 
------------
Segue também no Bloglovin e Facebook

Comentários

  1. My pleasure! :)
    Escreves tão bem, que tinha de te ter por lá!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário